quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

CANA DO REINO V. PIRES DF - Arquitetura 'de grife' para atrair o consumidor de alta renda


Finalmente consegui o projeto, me esbarrei com ele agora, quando estava pesquisando o arquiteto espanhol que também fez o projeto do Parque Ecológico do Paranoá, vencendo o concurso público. Alguém sabia disso? 

A pressa é clara, pois se eles não fizerem logo esse projeto os grileiros terminam de invadir o local.

NÃO SERIA POR CAUSA DESSE PROJETO QUE O GDF QUER ERRADICAR A "INVASÃO", "FAVELA" DA COLÔNIA AGRÍCOLA 26 DE SETEMBRO? AFINAL FICARIA MUITO CHATO PARA OS RICOS MORAREM AO LADO DE UMA "FAVELA"

Será que por causa desse empreendimento o GDF já está se antecipando para duplicar a DF 001 do pistão sul até no entroncamento com a BR 080? Inclusive instalando iluminação pública. 

Lendo a matéria abaixo, fui pesquisar o projeto, pelo visto, vai sair mesmo esse grande bairro da Brookfield.











Na língua inglesa, já existe até uma palavra para designá-los: starchitects. No Brasil, os arquitetos - celebridades ainda não somam um quórum numeroso mas começam a atrair a atenção de incorporadoras imobiliárias. São empresas que enxergam na assinatura de um profissional reconhecido internacionalmente um atrativo a mais para se diferenciar da concorrência na disputa por clientes de alta renda. Com atuação no Brasil desde 2008, quando foi convidado a participar do concurso para revitalização do Cais Guaiba, em Porto Alegre, o escritório do arquiteto espanhol Fermin Vazquez projeta um bairro sustentável de aproximadamente 350 hectares em Brasilia e três edifícios em São Paulo: um comercial e dois residenciais. 

"Temos percebido cada vez mais incorporadores com alto sentido de responsabilidade e engajados em deixar um legado positivo, o que significa um trabalho bem feito do ponto de vista arquitetônico e urbanístico", diz Vazquez, cujo portfólio de projetos inclui o da torre Agbar, arranha-céus de 142 metros de altura construído em Barcelona. 

A opção por projetos menores, assinados por um nome de destaque na arquitetura internacional. foi a forma encontrada pela Huma Desenvolvimento Imobiliário de explorar um nicho de metrado de alta rentabilidade, fugindo da concorrência de empresas de maior porte. "Se eu fosse replicar o model° das grandes incorporadoras estaria em desvantagem", justifica Rafael Rossi, diretor da Huma, que em conjunto com outras duas empresas prepara o lançamento em março do Forma Itaim.
O residencial de luxo com apartamentos compactos terá assinatura de Fermin Vazquez e preço por metro quadrado em torno de R$ 20 mil. "A vantagem de termos menos projetos é poder dedicar mais tempo e atenção a cada detalhe.

Embora seja um diferencial capaz de atrair a classe AAA, a assinatura de tini starchitect normalmente encarece o empreendimento. "A escolha de um arquiteto conceituado acarretará um custo adicional entre 30% e 50%. Mas esse valor superior será compensado com a valorização do imóvel, que tem seu preço de mercado eleva do graças à qualidade e notoriedade agregadas pela assinatura de um arquiteto renomado", argumenta Raquel Correa, diretora de Marketing da incorporadora WISP.
Um dos destaques da companhia é o Mira, edifício com apenas 14 apartamentos na valorizada Rua Horácio Later, no Itaim Bibi. O projeto arquitetônico foi desenvolvido pelo escritório de Daniel Libeskind, arquiteto nascido na Polônia que tem em seu currículo projetos corno o Ground Zero, em Manhattan, e o Museu Judaico de Berlim.
A incorporadora paulista Idea! Zarvos também tem em carteira dois projetos do escritório b720 Fermin Vazquez Arquitetos - um empreendimento comercial na Vila Madalena ainda sem previsão de lançamento e outro residencial na Vila Ipojuca,

Fonte  Brasil Econômico, Rodrigo Carro, 28/jan &
http://b720.com/es/proyecto/nueva_area_urbana

Nenhum comentário:

Postar um comentário